Fidelidade, fé

alguns dias atrás, nós começamos uma nova série que tem uma conexão com a série anterior, ‘fruta’, em sua manifestação metafórica. Consiste das qualidades anotadas em Gálatas 5: 22-23 como os frutos do Espírito. Se você perdeu a palavra hebraica do Senhor intitulada “O fruto do Espírito”, recomendamos que você a Leia agora. Você pode encontrá-lo em um e-mail anterior de cerca de duas semanas atrás. O sétimo fruto do Espírito é “fidelidade”, “sed”.Curiosamente, a palavra “e•mu•na” aparece apenas 25 vezes no Antigo Testamento, enquanto é mencionada 158 vezes no Novo Testamento. Naturalmente, a maioria das referências imploram que as pessoas adotem a fidelidade. Por que razão existe, então, um fosso tão profundo no número de vezes que é mencionado? Uma razão é que uma definição explícita e primordial da fé não existe no judaísmo*. Outra explicação é que nos dias da antiguidade mais pessoas tinham fé, mas a questão era que tipo de fé era? À medida que o tempo avança, há mais pessoas que pensam que a resposta às questões da existência mundial está na ciência e no humanismo-uma postura filosófica e ética que enfatiza o valor e a agência dos seres humanos, individual e coletivamente, e geralmente prefere o pensamento crítico e a evidência, como o racionalismo e o empirismo (ciência) a doutrina estabelecida ou a fé.A queixa mais prevalente dos profetas do Antigo Testamento não era dirigida ao agnóstico, mas aos judeus que seguiam outros deuses. O chamado dos profetas foi para retornar a Deus, em vez de fortalecer a sua fé frágil. Este último foi o chamado principal no Novo Testamento:

“mas vós, amados, continuai a edificar-vos na vossa mais santa fé, orando no Espírito Santo. “

trata-se de um apelo bastante positivo. Você pode sentir o descontentamento na maneira como Jesus, Yeshua, fala com Pedro, Keyfa:

“mas quando viu que o vento era forte, teve medo, e começou a afundar-se, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! Imediatamente Jesus estendeu a mão, agarrou-o, e disse-lhe: Tu, de pouca fé, por que duvidaste?”

Os próprios apóstolos reconheceram que a sua fidelidade foi insuficiente:

“Os apóstolos disseram ao Senhor: “aumenta a nossa fé'”

Não é de admirar que Maimônides (Rambam, 1135-1204), que o autor de os 13 Princípios da Fé Judaica, começa cada um com as palavras: ‘a•ni ma•a•min ser•e•mu•na ela•le•ma…’ (‘eu creio com fé completa’). O décimo segundo princípio diz: “Eu creio com completa fé na vinda do Messias, e embora ele possa atrasar, no entanto eu espero por sua vinda todos os dias.”

*uma única vez, a fé em Deus é mencionada nos 24 livros do Antigo Testamento. No versículo 10 do Livro de Isaías, capítulo 43, o mandamento para conhecer a Deus é seguido pelos mandamentos para crer e entender a Deus, denotando importância decrescente. Portanto, uma definição explícita e primordial da fé não existe no judaísmo.

você se inscreveu com sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts