Uma Solução para os Fracos Jovem Sol Paradoxo

Hoje, Christoffer Karoff na Universidade de Birmingham e de um companheiro de fazer uma nova proposta baseada em estudo de kappa Ceti, a estrela de cerca de 30 anos-luz de distância na constelação de Cetus, que é muito parecida com o nosso Sol como teria sido de quatro bilhões de anos atrás.

acontece que Kappa Ceti é pouco mais interessante do que os astrônomos pensavam. Esta jovem estrela, diz Karoff, produz erupções e ejeções de massa coronal a um ritmo que é de três ordens de magnitude maior do que o nosso Sol de hoje. A implicação, é claro, é que nosso Sol deve ter sido tão ativo quando tinha a mesma idade que kappa Ceti (cerca de 700 milhões de anos de idade).Mas e depois? Como é que as ejeções de massa coronal tornaram a terra mais quente? A resposta está em um fenômeno conhecido como a diminuição de Forbush, após o astrônomo Scott Forbush, que estudou raios comsos galácticos nos anos 1930 e 1940.

Forbush descobriu que o número de raios cósmicos galácticos que atingem a terra desce até 30% dentro de um dia ou mais do sol produzindo uma ejeção de massa coronal. A razão é que estas ejeções são nuvens gigantes de gás ionizado envolto em campos magnéticos poderosos. Estes campos simplesmente conduzem os raios cósmicos para longe da Terra.Portanto, se o sol primitivo estivesse produzindo ejeções de massa coronal muito mais, muito menos raios cósmicos teriam chegado à Terra.E é aí que outra ideia entra em jogo. Nos últimos anos, vários climatologistas especularam que os raios cósmicos semeiam a formação de nuvens na atmosfera inferior. A idéia é que eles ionizam moléculas e partículas de poeira que, em seguida, se tornam pontos focais para gotículas para condensar.

assim, menos raios cósmicos levam a menos nuvens. Há até algumas evidências de que a cobertura de nuvens cai durante uma diminuição de Forbush, embora seja justo dizer que há alguma disputa sobre isso.Então o pensamento de Karoff é assim. Mais ejeções de massa coronal no passado da Terra levam a menos raios cósmicos atingindo a terra, o que leva a menos cobertura de nuvens. Menos cobertura de nuvens significava que menos luz solar teria sido refletida de volta para o espaço, o que teria permitido que a superfície aquecesse.E foi isso que manteve a água líquida na superfície da Terra há quatro bilhões de anos.Percebeste?Ref: arxiv.org/abs/1003.6043: como o sol afetou o clima quando a vida evoluiu na Terra? – Um estudo de caso sobre o jovem gémeo Solar Kappa Ceti.

{{ tradução: cristiano170

assine a inscrição agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts